Este livro dava um filme

A escrita visual de João Amado Gabriel mostra ao leitor a ação dos personagens nos diversos cenários, descritos de forma concisa.

Não diz como foi mas mostra-o de forma eficaz podendo suscitar na mente do leitor mais atento a dúvida: afinal esta obra é um romance ou um guião de um filme?

Como repórter de imagem profissional, o autor transportou para a escrita as técnicas de captação e edição de imagem que tão bem conhece e o resultado é uma escrita fluida, visual, cinematográfica.

Segundo o autor, “Avô Capitão” não pretende ser “uma obra da arte literária”. É, contudo, uma história muito bem contada que rapidamente transporta o leitor para dentro da narrativa capturando-o até à última página.